Meu coração não entende de gramática
Categoria: Criações do Boas Histórias · Novidades
Postado por Marcela Vitória em 28 de junho de 2017 às 02:45 |


Meu coração ama juntar palavras, ressignificar termos e preencher a imaginação com cenários bonitos escritos com letra torta em guardanapos de bar. Ele é rebelde e quer escrever como der na telha. Coloca ponto final onde não tem, emenda sentenças e às vezes até prega peças no leitor com uma frase inacabada.

Fachada de um prédio antigo pintada à mão com a frase em inglês "Let's adore and endure each other", na tradução livre "vamos adorar e suportar um ao outro.

 

Pulsa no ritmo do toque da caneta nos dentes enquanto sorrio lembrando dos momentos bons que estou prestes a descrever. Meu coração bandido trapaceia a gramática e despeja as palavras antes que elas sejam presas pelo Penso, filtradas e retocadas como uma foto para o instagram. Gosta mesmo é de live, sem filtro, sem pose, sem ensaio. Se inventa na espontaneidade dos encontros,

Enlouquece o Penso – aquele certinho que corrige tudo. Meu coração é vagabundo, vê charme na imperfeição, quanto mais palavras no amontoado melhor. Romântico e cafona, gosta mesmo é do mergulho embriagado, daquela mistura boa que é eu, você e todo mundo pulando com glitter no rosto e luzes vibrantes. Aquele momento em que a câmera gira lenta focando nos olhos fechados, a música fica abafada no ambiente e se embaralha com as gargalhadas enquanto as almas dançantes se destacam dos corpos e se perdem num nevoeiro de êxtase e euforia.

Não se importa muito se as coisas fazem sentido, só quer que elas façam sentir.

Escreve na primeira pessoa, mistura resenha, opinião, crítica e poesia

troca o tom, o lado, fica em cima do muro e discorda ao mesmo tempo

não coloca letra maiúscula no início da frase. corações que batem no ritmo de palavras não entendem de gramática e estão mais preocupados com o ser do que com o parecer; preferem confundir e se perder.

Saltita e remexe quando troca a música, se permite errar sem voltar para corrigir, deixa assim mesmo, hoje e sempre

amanhã, talvez, o Penso se adone dessas palavras e corrija, por hoje só quer vibrar e quem sabe até arrisca versejar.


Criações do Boas Histórias · Novidades
 
é juntadora de palavras, designer e especialista em comunicação, sócia do estúdio criativo FLAMINGOwtf e agora colunista do Boas Histórias. Acredita que viver amassa a roupa e que palavras podem mudar o mundo. Escreve sobre tudo que faz o coração acelerar. Ama ouvir causos de pessoas mais velhas, sente que a experiência dá sentido e esperança para o que é contado. Lançou com a ilustradora Élin Godois o Guia de nós dois, um livro ilustrado para registrar histórias de amor.




There are no comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




 
BOAS HISTÓRIAS - Todos os direitos reservados 2017
Website by Joao Duarte - J.Duarte Design - www.jduartedesign.com